O meu corpo é uma Oração e a minha Oração é a gratidão - por Isabel Maria Angélica - 23.Março.2016

23-03-2016 11:11
 
No início do ano escrevi um texto intitulado "A Responsabilidade e o Ciclo da Vítima"*. Quando escrevi esse texto, senti que o tema ainda teria muito que explorar e não me enganei. Após isso, escrevi outro texto sobre a arrogância da nossa sombra ou a sombra ser a nossa arrogância, e despi mais umas camadas internas sobre este tema. Em apenas 2 meses e pouco, o Universo tem sido extremamente rico em experiências e encenações que me tocam e que me fazem observar esta temática de outras perspectivas.
 
Volto a reforçar que não sou psicóloga. Quanto muito sou arqueóloga e sou, de facto, jornalista. Então esta é uma busca incessante para mim - a de andar a retirar pó e ir sempre a camadas mais profundas da psique e espírito humano e da sua ligação ao campo espiritual, para depois partilhar convosco, seja nos meus cursos, círculos, atendimentos ou nestes textos assim.
 
Estamos agora na Lua Cheia em Balança, a 23 de Março de 2016, com um eclipse solar a acontecer dias depois do Equinócio da Primavera. Já percebemos que os Céus estão irrequietos, empolgados, cheios de energia e vontade de transformação. Nós sentimos tudo isso, mas mesmo assim, na maioria das vezes, reinam as resistências e incapacidade de ceder à rendição, pois a arrogância que é a nossa sombra ainda confude rendição com submissão e/ou cansaço. A propósito li algures que "dormir não ajuda se é a tua Alma que está cansada", o que me faz pensar que, de facto, é muito fácil cair neste engodo da observação do que pertence ao mundo do físico, sem nos pararmos para perguntar se estamos realmente a ouvir a nossa Alma e o que ela pretende para nós.
 
Quem fala em Balança, fala nos relacionamentos. De imediato a mente foga para a relação com os outros, mas será o quê mais importante agora? O relacionamento que temos com o outro ou o relacionamento que temos connosco mesmos/as? Onde se encontra a "nossa metade" (se é que somos metades?!) - dentro ou fora de nós? Aqui ando novamente nesta navegação entre a responsabilidade e, sabendo que 2016 é o ano da VIVÊNCIA DA RESPONSABILIDADE, de como é que nós, seres humanos, nos vamos alinhando com todas estas variantes, caminhos e complicações.
 
Então aqui estamos, a celebrar de forma consciente ou não, uma nova era mas a querermos usar os efeites de há 10 anos. Não nos queremos actualizar, mas ao mesmo tempo ansiamos que coisas novas entrem no nosso salão de festas. Como actualizar a mobília (energia) dentro do nosso espaço se não nos queremos desfazer da mobília velha (energia velha)?
E tudo isto é paradoxal... navegamos nestas águas do aqui e agora com muito apego ainda a uma velha barcaça cheia de fragilidades e buracos. O facto é que estamos todos numa canoa e todos somos tripulantes e passageiros. Quando uns descansam, os outros remam. E vice-versa. Não é possível ser apenas dois ou três a fazerem o esforço ou sacrifício para que a Humanidade siga o impulso. De uma forma ou de outra, as nossas Almas estão TODAS a pedir impulso, urgência, dinamismo e capacidade de sermos como os gatos - podemos cair mas sempre de pé. E porque digo TODAS? Porque estamos a navegar todos na grande Canoa que é a Terra, esta Mãe de Amor e Verdade que nos acolhe no seu Útero.
 
Portanto, nesta Lua Cheia de Balança é-nos chegado o convite para a integração de nós e o outro, nós e o todo, o todo em nós... e vem também o conceito de que O NOSSO CORPO É UMA ORAÇÃO E UMA ORAÇÃO É UM ESTADO DE GRATIDÃO. Esta foi uma imagem que recebi na Cerimónia de Temazcal que fizemos em Terras de Lyz no domingo de Equinócio de Promavera, a 20 de Março - o nosso corpo como Cálice onde as águas fluem, entrando e saindo, sem se transformarem em águas estagnadas. Um estado de embriaguez saudável em que é o coração que serve de motor e a voz apenas agradece. Perante esta proposta respiremos! Apenas isso - respiremos!... Depois de respirarmos profundamente duas ou três vezes, vamos observar como é que o corpo reage a esta frase. Podemos dizê-la em voz alta à medida que respiramos. Que acontece dentro de nós? O que tenta a mente que mente dizer-nos? O que nos comunica o Coração? E o que sair daqui é a Verdade do que se passa dentro de cada um de nós neste momento...
 
Ao proferir esta frase em voz alta sinto uma paz genuína, pois não estou em guerra comigo. Sinto que o meu corpo começa a ter espaço para relaxar mais, em vez de andar sempre alerta e em sentido. Sinto que a minha mente tenta boicotar, dizendo-me que "isto é bom de mais para durar!". Sinto que a minha Alma consegue perceber que é possível eu render-me a um poder superior a mim mesma.
 
Então este trabalho de Lua Cheia com Eclipse solar pede-nos para iluminarmos a nossa sombra e a nossa luz. Mas para isso a arrogância que é a nossa sombra não pode entrar. Pois ainda somos muito atreitos a isso... a arrogância da vitimazinha manipuladora que considera que a sua vida é mais complicada do que a de 7 bilhões de pessoas no Planeta Terra e que o Universo lhe está sempre a infligir castigos e penitências;... Os gatilhos das mentes que mentem e que são tão ardilosas na forma como ergue um espaço vazio entre o que é e o que poderá ser... pois o que poderá ser é um salto de fé no abismo da energia do coração. E isso mete medo. Se mete medo, então mais vale prosseguir da arrogância da vitimazinha manipuladora, diz a mente que mente.
 
Pois bem, isto não é assumir a responsabilidade e muito menos vivenciar a responsabilidade, tal como nos transmitiu Arcanjo Miguel no trabalho do Solstício de Inverno de 2015. Vivenciarmos a responsabilidade é, mais uma vez repito, vivermos estas 4 verdades - ser responsável por tudo o que se diz, se pensa, se amana e se fala. A partir daqui, estamos então a viver a integração do DOIS que é UM só em cada um de nós, a partir do qual tudo se gera e multiplica... o bom e o mau.
 
Sintam isto - o caminho faz-se caminhando e o importante mesmo é não pararmos. A cabeça fala do cansaço, fala de que os outros pressionam, a mente compete e boicota, a mente mente até ao coração. Então como saber o que fazer e como fazer? Se sentes o teu fogo interno a pedir mais cura é porque estás no sítio certo, com as pessoas certas e no caminho certo. E aqui a mente que mente terá de ser convidada reorganizar-se como motor de avanço e não como entrave. Será mais outro trabalho, sem dúvida, mas é voltar a permitir que ela, a mente, ocupe o lugar de coadjuvante do Coração, esse sim! o motor!
 
Respira e diz a ti mesmo/a - O MEU CORPO É UMA ORAÇÃO E UMA ORAÇÃO É UM ESTADO DE GRATIDÃO... respira e permite que o milagre do uno te toque. Dá o salto de fé para dentro de ti, pois tu és a pessoa mais importante da tua vida.
 
Bom caminhar!
 
Isabel Maria Angélica
 
 
Este texto pode e deve ser divulgado desde que respeitada a sua fonte:
Isabel Maria Angélica | 23 de Março 2016 | Terras de Lyz | www.terrasdelyz.net
 
Imagem - Philosophical Mercury - Italy - século XV
*Texto A Responsabilidade e o Ciclo da Vitima - http://www.terrasdelyz.net/news/a-responsabilidade-e-o-ciclo-da-vitima-por-isabel-maria-angelica-28-dez-2015/
**Texto A Nossa Sombra é a Arrogância - http://www.terrasdelyz.net/news/a-nossa-sombra-e-a-arrogancia-por-isabel-maria-angelica-8-marco-2016/